Inspire

Inspire-se em Giovana Lima

transição-capilar-ispiração

Mais uma historia linda de transformação não só do cabelo, mas da forma de enxergar a si mesmo e os outros. Confira e se INSPIRE!

Olá, meu nome é Giovana Lima e moro na cidade de Palmital, interior de SP. Sigo o Desventuras de uma Cacheada há um tempo e amo ver os desenhos que mostram a representatividade para as cacheadas e crespas.

Relembrar minha história com meu cabelo é sempre muito bom, me sinto feliz e orgulhosa do que me tornei, mas no passado não foi assim, foram anos de muita tristeza e busca por uma identidade que eu achava que era minha, mas que de fato não era.
TRANSIÇÃO-CAPILAR-INSPIRAÇÃO

Giovana Lima

Sempre fui considerada como “morena clara” e com o cabelo ruim, era fato que meu cabelo era de “Bombril” como diziam, mas ter a pele clara amenizava os preconceitos, haja vista que eu tinha traços de branca mas infelizmente um “cabelo de negro”.
Essa ideia parece absurda mas a tomei como verdade durante muito tempo da minha vida, os preconceitos partiram da minha família e me machucava demais, as palavras e olhares me faziam sentir errada, como se o que eu era fosse algo constrangedor e que eu não deveria ser.

Palavras machucam!

Escutei muitas palavras que me marcaram de modo negativo, tais como: “Você tem um cabelo ruim!”, “seu cabelo parece bombril”, “seu cabelo parece de vassoura”, “Nossa! Seu cabelo está muito armado hoje”, “cabelo de Maria Betânia”, “até poderia fazer algumas coisas em seu cabelo mas ele é crespo, não dá!”.
Hoje, embora pareça apenas frases bobas, na época doeu muito, era motivo de risada por ser diferente, por não ter ninguém parecido comigo.
Tornei-me uma pessoa insegura e que sempre buscava agradar as pessoas para que eu não parecesse uma aberração perante elas, só não sabia que estava me perdendo a cada passo que dava para agrada-las.
Como o volume sempre foi um problema pra todos, comecei com pequenas aplicações de relaxamento, como dizia a cabeleireira ” é só pra soltar os cachos”, o volume era assustador e uma afronta pra quem via, só não sabia que com o passar do tempo o relaxamento ia deixando meu cabelo liso, mas como eu não aprendi a gostar de mim, isso me parecia bom, porém não ficava liso escorrido como eu almejava, sendo assim parti para a progressiva.
Nas primeiras aplicações de progressiva não me satisfiz, meus cachos embora um pouco alisados pelo relaxamento não se alisavam tão fácil, hoje vejo que eles lutaram pra me mostrar que eu era linda daquele jeito, mas depois de um tempo lá estava eu, toda linda e feliz com meu cabelo liso.
Meu cabelo sempre cresceu muito rápido e minha felicidade acabava quando aparecia o primeiro cacho na raiz, isso era motivo de não querer sair de casa e não ter motivos para viver, me sentia infeliz e totalmente incompleta.

Um Pai que me ama do jeitinho que sou

Um dia muito decisivo da minha vida me fez abrir os olhos para muita coisa, esse dia foi O DIA pelo qual tive um encontro com JESUS, acredite você ou não, Ele foi capaz de me fazer enxergar muito a respeito de mim mesma, primeiro senti o seu amor e que Ele me amava como eu era, apesar de ser a pior dos pecadores. Cristo me fez me sentir linda e com uma vontade de ser quem eu realmente era, como Ele realmente me fez, não no sentido de viver no pecado mas de assumir minha aparência.
Fui em uma médica e ela apesar de criticar o meu estado, com a pele cheia de acne e o cabelo escorrido de progressiva, me incentivou a deixar os cachos crescerem, depois de pensar um pouco decidi que iria ser assim.
Pensei em fazer o big chop mas não tive coragem, então esperei um ano e meio para poder cortar, nesse período vivia com o cabelo escovado e com chapinha mas como ele foi crescendo muito não via outras maneiras de usá-lo a não ser preso.
Foram dias difíceis mas a minha esperança sempre foi maior em ver meu cabelo todo cacheado em vez de liso.

O Big Chop

O tempo passou e eu finalmente cortei aquelas pontas lisas que não faziam parte da minha identidade, ao me olhar no espelho, me encontrei e logo quis passar um batom vermelho pra registrar no meu coração de que eu era a mulher mais linda que já vi, naquele dia eu realmente consegui me amar e me senti totalmente livre, a pessoa que era escrava do secador, da chapinha e do pecado, agora passou a ser livre, por isso digo e acredito que onde Jesus chega tudo se transforma.
Quando cortei não sabia cuidar, chorei um pouco, pois não sabia o que iria fazer mas logo aprendi a cuidar dele, a construção do meu amor por mim mesma e a visão sobre a vida mudou bastante e continua mudando.
Hoje posso dizer com total convicção de que eu me amo, amo profundamente meus cachos e sem eles perco parte da minha identidade, claro que não sou só um cabelo mas meu cabelo também não é só um cabelo, é uma história de sofrimento e libertação, é minha felicidade, um meio onde Cristo foi glorificado.
Que em tudo Ele seja engrandecido!

Giovana Lima, Palmital, São Paulo

Como participar

  • Siga @desventurasdeumacacheada no instagram
  • Mande sua história com no mínimo duas fotos, para contato@desventurasdeumacacheada.com.br

OBS: No e-mail deve conter NOME, ONDE MORA e no mínimo 2 fotos EM BOA QUALIDADE. De preferência do seu ANTES e DEPOIS.

Veja também

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: