fbpx
INSPIRAÇÃO-DESVENTURAS

Inspirações da semana

Assumir o cabelo natural, as vezes é mais difícil do que parece. Mas com força de vontade e foco, muita gente tem conseguido se aceitar e provado que a transição capilar é apenas um começo para recuperar o amor próprio e desconstruir muitos padrões que a sociedade impõe.

Poder se inspirar em pessoas que passaram pelo mesmo, é encorajador. Essa semana vamos conhecer 5 meninas que com suas histórias, nos mostram que vale a pena se amar.

Dellys Farias

13178522_882539165201309_4296962251113825284_n

Alisei meu cabelo aos 10 anos depois de muitas bagunças no colégio, apelidos e tudo mais. Quase 10 anos nessa vida de estica e puxa de cabelos. Ao ler um post sobre transição, vi que não tinha mais motivos pra continuar naquilo. cortei meus cabelos no dia seguinte e cá estou 1 ano e 8 meses depois amando cada dia mais os meus cachos.

Jaqueline Vaz

13133239_274571222882152_6288367409612046620_n

Aquela menina que era obrigada a alisar o cabelo só porque a família não gostava, achava feio, muito armado, achava que o cabelo liso era melhor. Essa menina cresceu e cansou desses padrões, cansou de ficar todo mês queimando o couro cabeludo com relaxamento e chapinha. Essa menina, decidiu jogar tudo pro alto e ser quem ela realmente é, resolveu assumir suas raízes, sem e preocupar com chacota e comentários bobos. Hoje ela se sente melhor desse jeito, do jeitinho que ela é. Essa menina não é mais uma menina, já uma mulher que se ama independente de qualquer coisa.

Amanda Domingos

Amanda

Quando fiz 9 anos, minha mãe alisou meu cabelo porque não queria mais ter trabalho para arrumar. Um mês depois meu cabelo caiu, ficou horrível e durante um ano sofri muito na escola com as brincadeiras e piadas das outras crianças. Minha mãe mais uma vez insistiu e alisou meu cabelo de novo. E assim continuou por mais 10 anos, sim 10 anos. Até que a 4 anos atrás percebi que eu era linda do jeito que sou, que não tinha porque esconder algo que era naturalmente meu. Não valia a pena gastar todo mês fortunas de dinheiro com alisantes, relaxantes, escovas. Me assumir foi a melhor coisa que eu fiz na vida. Não fiz a transição, cortei direto, e hoje ver ele “grande”, volumoso me mata de orgulho! Minha mãe me critica todos os dias, fala que tem vergonha de sair comigo por causa do meu cabelo, nem ligo mais! Já perdi emprego por causa dele e hoje dou graças a Deus, um emprego desse não é pra mim. Esses obstáculos não são nada perto do amor que sinto toda vez que me olho no espelho!

Jessica Moreira

Jessica Moreira

Alisei meu cabelo pela primeira vez aos 8 anos. Minha mãe achava que era muito difícil cuidar e acabou que tão nova e obviamente sem entender o que estava acontecendo, eu alisei. A ‘descoberta’ do meu cabelo natural foi ha 2 anos, eu sempre gostei de cabelo curto e pela primeira vez cortei bem curtinho mas continuei alisando. Eu detestava porque era doloroso e demorado e eu sentia que meu couro cabeludo estava maltratado, mas sempre me diziam que “pra ficar bonita, tem que sofrer”. Então decidi não alisar mais, continuar cortando, entrei na transição e fiz meu BC sem ter noção do que era aquilo. No fim desse processo todo, que eu fui entender pelo que tinha passado e como aquilo tudo ajudou no meu processo de empoderamento e autoconhecimento, além de conhecer o amor próprio (coisa que não tinha) e o feminismo.
Hoje tenho apenas 15 anos e cada cacho que cresce é o resultado de muito esforço e muito orgulho, pois passar a infância quase toda alisando e perder sua identidade e depois voltar a estaca 0 é difícil. O bom disso tudo é que depois de tudo isso, minha mãe também resolveu passar em transição e está no terceiro mês de BC. Vê-la se reencontrando com seu cabelo natural e ficando feliz por cada finalização bem sucedida é uma coisa maravilhosa!

Aline Souza

13133171_1754406971459401_2576275340194370618_n

Eu , Aline de Souza , moro em Belo Horizonte Mg , tenho 21 anos. E o que é ser bonita ? Ser bonita é se achar linda do jeitinho que Deus nos fez. Com o cabelo liso, crespo , cacheado, diversas formas fisicas. Mas o ‘ser bonita’ vem de dentro .Há muito tempo  me moldei de acordo com o que a sociedade dizia , alisei meus cachos , emagreci e mudei meu jeito. Mas hoje , depois de estar quase terminando a transição eu percebi que sou linda, e quem achar o contrário, não pode me mudar, porque EU me acho linda assim!

Como participar?

Toda semana, escolhemos 5 fotos que serão publicadas aqui como inspiração da semana. Para participar,  é só comentar a foto oficial da semana lá na fanpage, falando sobre você e sua relação com seu cabelo natural. Coloque uma foto bem linda, que demonstre o quanto você se ama. Você também pode participar pelo Instagram, postando uma foto com sua história e usando a hashtag ‪#‎InspiraçãoDesventuras‬.

Facebook Comments

Ster Nascimento, 22 anos. Gosto do meu cabelo cacheado, do meu descontrole sem pé nem cabeça, do meu 8 ou 80 e da minha zarreza perceptível. As vezes sou um amor de pessoa.

One Comment

Deixe uma resposta