Da desconstrução ao empoderamento

Da desconstrução ao empoderamento

da-desconstrução-ao-empoderamento

@negahamburguer

Estamos aqui, sempre acostumados a viver com a imposição de uma realidade que, na maioria das vezes, não é a nossa. São muitos padrões que querem cortar o nosso elo biológico, histórico, sentimental. Padrões que ferem a nossa autoestima.

Pois bem, é sobre a desconstrução desses padrões que quero falar. Por que é tão importante que você se aceite? Aceitar-se é modificar-se desde o seu íntimo até a exteriorização do que você realmente é. Eu sei que existem milhares de textos sobre aceitação, sobre cabelo, sobre gênero, sobre raça. Mas cada dor, luta e vitória é única. Logo, vi no Desventuras de uma Cacheada a oportunidade de mostrar para as pessoas, principalmente para as mulheres, que mais uma de nós conseguiu se aceitar.

A verdade é que de todas as formas, passei a infância, a adolescência e parte da minha vida adulta lutando para caber dentro de um padrão apertado, sufocante, doloroso. Sim, foi doloroso passar quase 20 anos odiando meu cabelo. “AFF! Mais um texto de cabelo?”. Não, é muito mais que isso.

Há quase dois anos, eu me olhei no espelho e meu íntimo doeu tanto, que me questionei: quem estou querendo agradar? Essa pessoa do espelho, não sou eu. Foi a partir daí que começou a minha desconstrução. Comecei a analisar os últimos 17 anos da minha vida, cheguei à conclusão que neste período eu nunca estive 100% feliz com minha aparência, principalmente com meu cabelo.

Sempre costumo dizer que a nossa personalidade e ideologias começam a ser formadas desde a infância. É um mapa que começa a ser desenhado desde o início da vida e assim segue. Porém, os erros nesse desenho podem nos causar decepções, que por vezes se transformar em intolerância. Então, acho que foi isso que aconteceu comigo. Sofri tanto durante minha infância e adolescência por causa do meu cabelo, que nunca tinha conseguido aceitar o fato de ter nascido daquele jeito.

da-desconstrução-ao-empoderamento

@negahamburguer

Mas, voltando ao que interessar, eu desconstruir tudo isso em mim. É possível, meu amor! Você pode tudo! Desconstruir em mim o preconceito que tinha comigo mesmo. Transformei a minha decisão na arma mais forte do mundo e descobri que isso se chama EMPODERAMENTO – Tomar para si o poder. Ou seja, o poder sobre meu cabelo, meu volume, meu corpo, minha vida, É MEU! E isso, é lindo demais…

 

Hoje posso garantir que a minha liberdade se chama aceitação. Olho para mim e para meu próximo com tanto carinho. Aprendi que se você ama e se aceita, consegue aceitar o outro de um jeito tão especial. Por isso, volto ao questionamento que fiz no início do texto: Por que se aceitar? Se aceite para você mudar a sua visão do mundo, para ter amor próprio reinando em sua mente, amor ao próximo em seu olhar.

Amanda Nolasco Damascena, 24 anos.

Facebook: https://www.facebook.com/amandanolascoD

Instagram: @amandadna

 

About

Ster Nascimento

Ster Nascimento, 22 anos. Gosto do meu cabelo cacheado, do meu descontrole sem pé nem cabeça, do meu 8 ou 80 e da minha zarreza perceptível. As vezes sou um amor de pessoa.

Related Posts
7 comments
  • Pandinha

    junho 19th, 2016 2:30

    Hey... Eu me achava horrivel de cabelo cacheado, alisei uma vez e odiei! Todas meninas da minha classe amavam alisar e eu pensava: -Elas acham tao bonito!Poxa, sera que eu ñ fico bonita de nenhum jeito ;( Mas com o tempo percebi o quanto isso é besta... E notei que em terra de chapinha quem te cachos é rainha! ;)

    Reply
    • Ster Nascimento

      junho 27th, 2016 21:20

      Oi Pandinha, na verdade você tem toda liberdade para usar seu cabelo como se sente melhor. Mas assumir seu cabelo natural e amar quem você é, é muito importante. Sempre tome suas decisões diante do que você acha e n"ao fa~ca nada apenas pela influência dos outros. Um beijo :*

      Reply
    • Amanda Nolasco

      junho 28th, 2016 15:26

      Oi, Pandinha! Quando nos damos a oportunidade de nos amar como realmente somos, como realmente gostamos de ser, isso nos torna especial para nós mesmos. Seja lisa ou cacheada, o importante é viver sem pressão! Beijos!

      Reply
  • Michelle

    Maio 31st, 2016 21:48

    Amanda estou tão orgulhosa de você, em suas palavras da pra sentir toda a sua dedicação, alegria e autoestima super em alta. Parabéns

    Reply
  • Ana Carolina

    Maio 30th, 2016 21:42

    Caramba..! Será que é por isso que ando tão apaixonada por mim mesma desde que comecei minha transição capilar? ;) Um abraço e parabéns a Amanda pelo texto e ao Desventuras por postá-lo!

    Reply
    • Ster Nascimento

      Maio 30th, 2016 22:30

      Oi Ana, é isso sim. Muita gente não sabe, mas por trás da transição capilar existe um universo de descobertas sobre nós mesmos e sobre o mundo. Que bom que gostou. O texto realmente é maravilhoso!

      Reply
    • Amanda Nolasco

      junho 28th, 2016 15:27

      Oi, Ana! Obrigada! Rsrsrsrs... pois é, menina, é muito amor!

      Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.